Área de soja em Canarana deve aumentar 10% nesta safra

CANARANA – O município de Canarana deve chegar a 275 mil hectares com soja na safra que começará a ser semeada. Isso representa um crescimento de 10% em relação ao ciclo 2016/17, quando a oleaginosa ocupou 250 mil hectares. A projeção é do secretário de Agricultura e Meio Ambiente Charles Visconti.

Porém, conforme o secretário, o crescimento deve acontecer pelos grandes grupos lavoureiros, que possuem capital para investir na conversão de pastagens em lavouras. O médio e pequeno produtor ainda sentem os reflexos da seca há dois anos e dos preços baixos da última safra e na atual, que mina os investimentos.

A tendência, conforme meteorologistas, é que, apesar do adiamento do início das chuvas, eles devem acontecer de maneira regular. Amanhã, terça-feira, 10, o PhD em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas, Luis Carlos Molion, estará em Canarana para ministrar uma palestra sobre o clima para esta safra. Será as 19h00 no Sindicato Rural.

A projeção é que a área plantada no município em no máximo cinco safras alcance entre 350 a 400 mil hectares, atingindo assim seu potencial máximo. Canarana tem mais de 600 mil hectares de terras abertas e consolidadas, mas nem tudo pode virar lavoura. A área total do município é de pouco mais de um milhão de hectares, ou seja, quase 40% continuam preservados.

O contraste do aumento da área agricultável em Canarana é que ele atrai empresas e profissionais, gerando emprego e renda. Mas, a falta de renda ao produtor em muitas safras, faz também com que ele não consiga honrar os compromissos de financiamentos ou mesmo diminua os investimentos, o que também gera desemprego e fechamento de empresas.

O desafio agora é atrair indústrias que beneficiem essa imensa produção do campo, pois em pouco tempo se esgotará a capacidade de crescimento agrícola do município. Uma das alternativas são as mini usinas de etanol de milho consorciado com confinamento, investimento em estudo atualmente.