Arlindo Cancian fala sobre safras de milho e soja

CANARANA – Na região de Canarana, os produtores rurais estão preocupados com a nova safra 2018/19 por conta da proibição dos produtos que utilizam glifosato na fórmula, que é diretamente utilizado na maioria das lavouras de soja, e o tabelamento dos fretes que comprometeu o armazenamento dos grãos.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Arlindo Cancian, a produtividade das lavouras de milho na localidade está próxima de 80 a 85 sacas do grão por hectare, que está abaixo da média se comparada com o ano anterior. “Nós calculamos que vamos ter nesta temporada de duas a cinco sacas a menos por hectare que a safra passada”, afirma a liderança.

Do lado da demanda, a liderança ressalta que a maior parte do milho produzido na região é destinado ao confinamento e que nos últimos dias a procura aumentou. “O produtor está vendendo na medida do possível para não ter que estocar o grão, mas muito milho também foi vendido para as tradings para exportação”, pontua.

Comercialização

Na localidade, as referências para o milho estão ao redor de R$ 18,00 a R$ 23,00 por saca, sendo que alguns agricultores estão negociando em torno de R$ 22,50 a saca. “Os produtores estão buscando vender nestes patamares, porém eu acredito que 25% da produção será comercializada mais tarde”, comenta.

Por conta dos valores do tabelamento dos fretes, a média de preços para soja disponível está abaixo do esperado em torno de R$ 62,00 a R$ 63,00 a saca, sendo que as referências deveriam estar de R$ 2,00 a R$ 3,00 acima do valor praticado atualmente.

Safra de verão

Em função ao impasse ao tabelamento dos fretes, os planejamentos para a safra de verão estão comprometidos no município. Isso porque, os valores dos fretes para os grãos tiveram um aumento expressivo. “As tradings estão pagando esse preço para desocupar os armazéns devido à colheita do milho, sendo que os adubos estão chegando aos poucos”, finaliza.