Audiência pública debate o futuro da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

BRASÍLIA – Dezenas de agricultores de Mato Grosso foram à Brasília nos dias 17 e 18 de setembro, para acompanhar duas audiências públicas realizadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Em pauta, o destino de um recurso fundamental para tirar do papel os trilhos da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico). Produtores de Canarana estiveram presentes. Marcos da Rosa representou a Famato na oportunidade.

O montante (cerca de R$ 4 bilhões) é referente à renovação antecipada das concessões que a mineradora Vale detém sobre a Ferrovia dos Carajás (que liga o Pará ao Maranhão) e sobre a Ferrovia Vitória-Minas (que liga o Espírito Santo ao estado de Minas Gerais), que vencem em 2027. Por meio da Lei 13.448 de 2017, o Governo Federal pretende converter o valor da outorga em investimento em obras de infraestrutura. E o foco é a Fico.

Inicialmente, estaria contemplada a construção dos trilhos entre Campinorte (GO) e Água Boa (MT). São 383 km que ajudariam a melhorar consideravelmente a logística da região leste de Mato Grosso. Só que os estados do Pará e do Espírito Santo não concordam com a destinação do dinheiro para o Centro-Oeste do país. E aí está o motivo das audiências e da presença certeira do grupo mato-grossense nos encontros. Afinal, empunhar a bandeira da Fico agora é reforçar a justa cobrança de que o estado que mais produz grãos e carne bovina do país, merece investimentos urgentes em infraestrutura e logística.