BCE pode precisar usar medidas não convencionais com mais frequência

Estadão Conteúdo

BCE deverá tomar medidas de proteção à economia da zona do euro
Getty Images

BCE deverá tomar medidas de proteção à economia da zona do euro

Membro executivo do conselho do Banco Central Europeu (BCE), Benoît Coeuré disse neste sábado que a autoridade monetária pode precisar recorrer com mais frequência a medidas não convencionais, tais como taxas de juros negativas e compras de ativos no futuro, com o objetivo de apoiar a economia da zona do euro.

LEIA MAIS: “Governo Temer deve seguir a linha Itamar, e não a linha Sarney”, diz economista

A mensagem – entregue no Jackson Hole, conferência econômica organizada pelo Federal Reserve de Kansas City – ecoa as palavras da presidente do Fed, Janet Yellen, em um discurso feito na sexta-feira. Yellen disse que esperava que os bancos centrais continuem a desempenhar um papel vital no apoio ao crescimento utilizando ferramentas desenvolvidas durante a crise e talvez novas.

Coeuré afirmou que as políticas não convencionais do BCE, que incluem 80 bilhões de euros por mês em compras de títulos, têm sido “muito eficazes” em apoiar a economia da zona euro e elevar as expectativas de inflação. Ele alertou, no entanto, que os efeitos positivos podem desaparecer se as políticas forem muito prolongadas.

Os benefícios das medidas pode ser superadas pelo “aumento dos efeitos colaterais”, como um possível impacto negativo sobre a estabilidade financeira e as repercussões sobre outras regiões, alertou. “Não podemos descartar uma situação em que os efeitos colaterais são tais que as consequências negativas prevaleçam”, disse. Fonte: Dow Jones Newswires.