Canarana quer que vazio sanitário na região comece em 15 de julho para salvar cultura do gergelim

CANARANA – O município de Canarana, entre tantas potencialidades, é o campeão nacional de gergelim. Conforme o Sindicato Rural de Canarana e a Aprosoja, acredita-se que a área plantada chegue a 30 mil hectares ano, injetando na economia do município mais de 40 milhões de reais a cada safra.

Porém, os produtores estão enfrentando uma grande dificuldade. Isso porque o gergelim tem a folha larga, a mesma da soja. Assim, no meio das lavouras de gergelim nascem os pés de soja guaxa e se o produtor passar o defensivo para eliminar a soja guaxa mata também o gergelim.

Acontece que iniciou em todo o estado no último dia 15 de junho, o vazio sanitário da soja, que dura por 90 dias. Nesse período é proibido o plantio de soja e os produtores são obrigados a eliminar a soja guaxa de suas propriedades para controle da ferrugem asiática, quebrando o ciclo da doença.

Assim, o Indea iniciou a visita nas propriedades, notificando e multando as fazendas onde são encontradas soja guaxa. A multa é de aproximadamente R$ 4.000,00 mais R$ 200,00 por hectare. Em Canarana, pelas informações apuradas por nossa reportagem, 10 propriedades já foram autuadas, sendo a que a maioria é de soja guaxa no meio do gergelim.

Os produtores alegam que o vazio sanitário na região do Araguaia deveria ser de 15 de julho a 15 de outubro, 30 dias mais tarde do que as outras regiões do estado. Porque até o dia 15 de julho praticamente todo gergelim estará colhido e antes do dia 15 de outubro praticamente ninguém planta soja na nossa região, preservando assim os 90 dias de vazio.

Pelas informações apuradas, um produtor de Canarana foi multado em mais de 40 mil reais. Sem ter muito o que fazer e sendo multados, muitos estão ameaçando parar de plantar gergelim, sendo que a solução é muito fácil: apenas mudar o período do vazio sanitário.

O receio do Sindicato Rural de Canarana, Aprosoja, vereadores e demais entidades da sociedade, é que por este motivo os produtores rurais de Canarana e também de municípios da região que plantam o grão, abandonem a cultura e somente na nossa cidade deixe de girar os 40 milhões de reais anuais.

Assim, uma carta com essas informações será redigida e assinada pelo Sindicato Rural, Aprosoja, Câmara Municipal, Prefeitura e demais entidades, pedindo ao Governo do Estado através do Indea, que mude a data do vazio sanitário e cancele as multas desse ano, para preservar uma cultura que fomenta a economia local, regional e estadual.