Casos de coqueluche são registrados em Canarana

Foto - opas.org.br

CANARANA – No ano de 2019 o município de Canarana já registrou três casos suspeitos e um confirmado para coqueluche. Porém, esse número pode aumentar com a chegada dos resultados de exames. É de obrigatoriedade que os pais ou responsáveis levem as crianças juntamente com o cartão de vacinação em uma Unidade Básica de Saúde para atualizarem o mesmo. Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente, o não cumprimento da vacinação acarreta medidas cabíveis de punição aos pais ou responsáveis.

O que é coqueluche?

A coqueluche é uma doença infecciosa aguda, transmissível e de distribuição universal. É provocada pelo bacilo Bordetella pertussis e compromete especificamente o aparelho respiratório da pessoa, o que inclui traqueia e brônquios. A principal característica é a tosse seca.

O ser humano é o único reservatório natural do bacilo causador da coqueluche. Apesar de ainda não ter sido constatada a existência de portadores crônicos da doença, podem ocorrer casos sem sintomas e/ou com pouca importância na disseminação da infecção.

Quais são os fatores de risco para coqueluche?

Os principais fatores de risco para coqueluche têm relação direta com a falta de vacinação. Nas crianças a imunidade à doença é adquirida quando elas tomam as três doses da vacina, sendo necessária a realização dos reforços aos 15 meses e aos 4 anos de idade. Pode ser que o adulto, mesmo tendo sido vacinado quando bebê, fique suscetível novamente à doença porque a vacina pode perder o efeito com o passar do tempo.

Como a coqueluche é transmitida?

A transmissão da coqueluche ocorre, principalmente, pelo contato direto do doente com uma pessoa suscetível, por meio de gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou até mesmo ao falar.

Em alguns casos, a transmissão pode ocorrer por objetos recentemente contaminados com secreções de pessoas doentes. Isso é pouco frequente, porque é difícil o agente causador da doença sobreviver fora do corpo humano, mas não é impossível. O período de incubação do bacilo, ou seja, o tempo que os sintomas começam a aparecer desde o momento da infecção, é de, em média, 5 a 10 dias podendo variar de 4 a 21 dias e, raramente, até 42 dias. A maior transmissibilidade da doença ocorre na fase catarral.

Quais são os sintomas da coqueluche?

Os sintomas da coqueluche podem se manifestar em três níveis. No primeiro nível, o mais leve, os sintomas são parecidos com o de um resfriado. Mal-estar geral; Corrimento nasal; Tosse seca; Febre baixa; Tosse passa de leve e seca para severa e descontrolada; A tosse pode ser tão intensa que pode comprometer a respiração; Ao puxar o ar, pode haver o sinal de um grito agudo; A crise de tosse pode provocar vômito ou cansaço extremo.

Como é feito o diagnóstico da coqueluche?

O diagnóstico da coqueluche em estágios iniciais é difícil, uma vez que os sintomas podem parecer como resfriado ou até mesmo outras doenças respiratórias. A tosse seca é um forte indicativo da coqueluche, mas para confirmar o diagnóstico o médico pode pedir os seguintes exames: Coleta de material de nasofaringe para cultura; PCR em tempo real; Como exames complementares, podem ser realizados hemograma e raio-x de tórax.

Como é feito o tratamento da coqueluche?

O tratamento da coqueluche é feito basicamente com antibióticos, que devem ser prescritos por um médico especialista, conforme cada caso. É importante procurar uma unidade de saúde para receber o diagnóstico e tratamento adequados, assim que surgirem os primeiros sinais e sintomas. As crianças, quando diagnosticadas com coqueluche, frequentemente ficam hospitalizadas (internadas), tendo em vista que os sintomas nelas são mais severos e podem provocar a morte.

Quais complicações a coqueluche pode provocar?

A maioria das pessoas conseguem se recuperar da coqueluche sem sequelas e maiores complicações. No entanto, nas formas mais graves podem ocorrer alguns quadros mais severos, como Hérnias Abdominais. Em crianças, especialmente as menores de seis meses, as complicações são mais graves e podem incluir, por exemplo: Infecções de ouvido; Pneumonia; Parada respiratória; Desidratação; Convulsão; Lesão cerebral; Morte.

Como prevenir a coqueluche?

A vacinação é o principal meio de prevenção da coqueluche. Crianças de até 6 anos, 11 meses e 29 dias devem ser vacinadas contra a coqueluche. O Sistema Único de Saúde (SUS) também oferta vacina específica para gestantes e profissionais de saúde que atuam em maternidades e em unidades de internação neonatal, atendendo recém-nascidos e crianças menores de um ano de idade.