Chuvas alagam Depol e delegado pede ajuda à população

CANARANA – As instalações da Delegacia de Polícia Judiciária Civil de Canarana continuam péssimas, um local impróprio para o trabalho dos profissionais que ali batem ponto. Isso fez com que o delegado, Dr. Deuel Paixão de Santana, pedisse ajuda nas redes sociais.

“Precisamos da ajuda do CONSEG (Conselho Comunitário de Segurança) para sanar este problema na Delegacia. Toda chuva é muita goteira, que faz acumular muita água no interior da unidade e tornar o local impróprio e insalubre ao trabalho. As goteiras já comprometeram alguns procedimentos investigativos”, disse o delegado.

A questão já foi levada ao conhecimento do Governo do Estado, mas até o momento nada foi feito. Há alguns meses, o J. O Pioneiro já havia feito uma matéria mostrando os problemas estruturais históricos da unidade.

Para chegar à Depol, é preciso cruzar as fossas da cadeia Pública. Na parte interna o espaço é apertado, tem fiação solta, péssima ventilação – o que provoca mofo e mau cheiro, telhado em condições precárias – o que permite infiltrações, inacessibilidade para deficientes, entre outros desafios enfrentados pelos profissionais e população que usa dos serviços.

Um terreno adequado já foi prometido pela Prefeitura Municipal para a Depol caso se consiga os recursos. Assim que vier o dinheiro, a doação será encaminhada para apreciação dos vereadores. Porém, devido à crise econômica vivida pelo Governo do Estado, há pouco esperança no atendimento do pleito, por isso o pedido de ajuda do delegado à população.

A Polícia Civil de Canarana tem realizado um grande serviço em Canarana. Em 2015, apreendeu mais de R$ 3,2 milhões em espécie com um homem acusado de lavagem de dinheiro. Todo esse montante foi destinado para o Governo do Estado investir em segurança pública, mas nada voltou em benefício à Polícia Civil do município.