Cidadão é protagonista na prevenção e combate às queimadas

CANARANA – Todos os municípios que formaram Brigadas Municipais Mistas em 2018, apresentaram redução de focos de calor em relação a 2017, durante o período proibitivo de queimadas, de 15 de julho a 1 de outubro. As Brigadas são implementadas pelo poder público, em parceria com empresas privadas e sociedade civil, para estruturar municípios que não têm unidades do Corpo de Bombeiros Militar ou que apresentam um quadro de incêndios florestais preocupante.

Já no primeiro ano de implantação, entre 2015 e 2016, os municípios que aderiram ao projeto tiveram redução de até 88% dos índices dos focos de calor em relação à média dos últimos 10 anos e diminuição de até 61% da área queimada em relação ao ano anterior.

Chapada dos Guimarães e Canarana, os dois municípios que implantaram a Brigada Municipal Mista este ano, diminuíram o número de focos de calor no período proibitivo em comparativo ao ano passado, quando ainda não tinham civis trabalhando com Bombeiros Militares no combate as queimadas. Chapada teve uma redução de 66% e Canarana de 57%.

Os outros municípios que tem Brigada Municipal Mista instituída, Diamantino teve uma diminuição de 79%, Claudia de 60% Nova Mutum de 45%, Aripuanã de 15% e Comodoro 43%.

As Brigadas Municipais Mistas são formadas por dois bombeiros militares e até seis civis. Sua criação e manutenção é uma parceria do governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Corpo de Bombeiros, prefeituras, empresas privadas e entidades de classe. O Ministério Público do Estado também auxilia o projeto com compensação de verba ambiental.

O curso de Formação de Brigadista Florestal, coordenado pelo Corpo de Bombeiros Militar, é obrigatório em todos os municípios que instalam Brigadas Municipais Mistas, mas também pode ser ministrado para civis de outras cidades. Em 2018, 10 municípios receberam o treinamento, sendo 250 brigadistas florestais capacitados.

Os brigadistas aprendem técnicas de combate a incêndios florestais, como forma de diminuir as ocorrências e os prejuízos ambientais, humanos e sociais. “O treinamento alinha o conhecimento técnico do bombeiro com o conhecimento local que o civil tem. Os brigadistas florestais são pessoas que moram nas proximidades de onde estão implantadas estas Brigadas e tem domínio sobre a comunidade em que mora, conhece os recursos, o relevo, a vegetação, as vias, as rotas de fuga, os aceiros naturais”, explica o comandante do Batalhão de Emergências Ambientais tenente-coronel BM Dércio dos Santos.