Com ordem para garantir a sessão da RGA, Tropa de choque toma a Assembleia

Tropa de Choque da PM a postos na AL desde as 5h para tentar conter os servidores caso queiram impedir sessão

A Tropa de Choque da Polícia Militar foi acionada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso para fazer a segurança da Casa. O local está cercado. Militares estão avisados de que devem tentar conter qualquer movimentação dos servidores que estão acampados na AL. Informações extraoficiais apuradas pelo RDNews dão conta de que a sessão, na qual será votado pacote do Governo que contraria servidores, deve ocorrer no teatro Zulmira Canavarros, e a PM está pronta para impedir a entrada de manifestantes. Policiais que compõem a Tropa de Choque estão sob aviso desde às 5h desta quarta (23).

Servidores passam a noite na plenária. Esta servidora dorme debruçada na bancada

A casa de leis está tomada de policiais e, segundo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde de Mato Grosso (Sisma), Oscarlino Alves, a informação que foi repassada a eles é que todo esse reforço policial é só para dar garantia de entrada aos deputados à sala da presidência.

“Como se cogitou muito os deputados derrotados votarem fora da Assembleia Legislativa, então eles resolveram fazer a votação dentro da sala da presidência, dentro do colégio de líderes da presidência da AL, mas o que temos é uma extraoficial”, disse.

Os servidores ocuparam a AL no início da tarde desta terça (22) e passaram a noite no plenário para tentar evitar a votação do projeto que altera o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA).

Pelo menos 40 servidores manifestantes passaram a noite no plenário.

A pauta faz parte de um pacote de medidas apresentada pelo governador Mauro Mendes (DEM) para conter gastos e enxugar a máquina pública.

Na semana passada, Mendes decretou estado de calamidade financeira em Mato Grosso. Esses e outros projetos que tratam de cortes de gastos propostos pelo governo tramitam em regime de urgência e para votá-los os deputados estão fazendo sessões extraordinárias.

Na primeira votação, o projeto sobre a RGA obteve 14 votos favoráveis pela aprovação e seis contrários. Os seis deputados que votaram contra foram Wancley Carvalho (PV), Max Russi (PSB), Janaina Riva (MDB), Valdir Barranco (PT), Allan Kardec (PDT) e Wilson Santos (PSDB).

Desocupação

No final da tarde de terça, o juiz Paulo Márcio Soares de Carvalho, da 4ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, determinou que os servidores que estão ocupando o prédio da ALMT em protesto deixassem o local em até 3 horas. A ação foi proposta pelo procurador-geral da assembleia legislativa, Grhegory Paiva Pires Moreira Maia.