Desmatamento anual do cerrado reduz 41% em Mato Grosso

CUIABÁ – Em um período de dez anos, o desmatamento anual no Bioma do Cerrado reduziu em 64% no estado do Mato Grosso. A área desmatada em 2007 foi de 2.135 km2, e, em 2017, de 1.252 km2. Os resultados foram divulgados pelos ministérios do Meio Ambiente e de Ciências, Tecnologia, Inovação e Comunicações. 

O monitoramento deste bioma engloba mais 11 unidades da federação: Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraná, Rondônia, São Paulo e Tocantins. No conjunto, o desmatamento teve queda de 50% no comparativo dos anos de 2007 e 2017. 

A Política Nacional sobre Mudança do Clima estabeleceu, para o Cerrado, uma meta de redução em 40% para 2020, referente ao desmatamento médio observado no período de 1999 a 2008. “Mesmo diante desse resultado positivo, o governo considera necessário reduzir ainda mais esses números, tendo em vista a importância do bioma para a produção de água, a conservação da biodiversidade e a redução da emissão dos gases de efeito estufa que causam mudança no clima”, afirma o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte. 

O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, com uma área de 2 milhões de km2 (22% do território nacional). Na área, estão as nascentes de três grandes bacias hidrográficas (Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata). É reconhecido como a savana mais rica do mundo, com 11 mil espécies de plantas, 199 de mamíferos, 837 de aves e 1.200 de peixes. Mas pelo menos 137 espécies de animais correm risco de extinção.