Dívida de MT chega a R$ 6,4 bi

CUIABÁ – O Governo do Estado possui uma dívida pública de R$ 6,48 bilhões. Com a perspectiva de arrecadação deficitária e com eventuais impactos das variações das taxas de juros, de câmbio e de inflação nas dívidas contratadas, o governador Mauro Mendes (DEM) aponta que em 2019 está reduzida a capacidade de financiamento das políticas públicas, para não comprometer os recursos necessários para pagar a dívida que se estenderá nos próximos anos.

As informações estão na Lei de Diretrizes Orçamentárias 2019 (LDO), publicada no Diário Oficial durante a semana. Nesta conjuntura, o maior credor é a União, a quem Mato Grosso deve 42,8% do estoque da dívida do Estado, valor que soma R$ 2,7 bilhões, conforme dados publicados pelo governo.

Desse montante, cerca de R$ 2,11 bilhões (32,81%) são dívidas renegociavéis a partir da Lei Federal nº 9.496/97 e renegociadas em 2014 e 2016, que beneficiaram os Estados endividados com reduções nos juros aplicados e alongamento do prazo em até 20 anos, a partir de 2027, o que na prática deu 30 anos para que os Entes federados consigam quitar seus débitos com a União.

No bojo das dívidas públicas de Mato Grosso, o Banco do Brasil é o segundo maior credor, a quem o Estado deve 23,13% do estoque da dívida, o que corresponde a R$ 1,4 bilhão. Neste sentindo as contas mais caras para o Estado pagar são os financiamentos feitos para investimentos nos programas Pró-Estradas, Proinveste, Finame Caminhões e Maquinários, programas emergenciais ocorridos entre 2009 e 2010, Proconcreto, Restauração e Revitalização de Rodovias.

Reportagem completa no link https://www.rdnews.com.br/executivo/divida-de-mt-chega-a-r-6-4-bi-uniao-bb-e-bank-of-america-sao-maiores-credores/111040.