Dnit e Exército distribuem água e comida a caminhoneiros na BR-163, no sudoeste do Pará

Com chuvas, rodovia fica intrafegável devido lamaçal. Segundo o Dnit, BR-163 deverá estar totalmente asfaltada até o final deste ano.

Caminhoneiros estão presos na BR-163. — Foto: Divulgação/ Dnit

A chegada do período chuvoso é um problema há anos para caminhoneiros que seguem pela BR-163 rumo aos portos de Miritituba, no sudoeste do Pará. A rodovia, que não é completamente pavimentada, vira um lamaçal e alguns trechos ficam intrafegáveis. Presos sem poder seguir viagem, caminhoneiros estão recebendo água, comida e assistência médica de equipes do Exército e Departamento Nacional de Trânsito.

Durante o Carnaval, o Dnit, Exército Brasileiro e Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão atuando na BR-163 para garantir o deslocamento dos caminhões na rodovia. Com a pista escorregadia, os caminhões carregados têm dificuldades de subida nas serras em Moraes Almeida por falta de tração.

Caminhoneiros parados na BR-163 devido péssimas condições de tráfego, recebem comida e água. — Foto: Divulgação/ Twitter Dnit Oficial

O órgãos federais também realizam a manutenção emergencial do trecho. O fluxo na região é interrompido diariamente, das 22h às 6h, próximo a Novo Progresso, por motivos de segurança e para conservação da via. Os equipamentos de engenharia foram realocados para ajudar a normalizar o tráfego nos pontos mais afetados.

Caminhoneiros que ainda estão em Mato Grosso, fora da área crítica, são orientados a só iniciarem a subida para o Pará a partir de terça-feira (5), evitando a saturação do trecho. O bloqueio está sendo realizado nos municípios de Santa Helena e Guarantã do Norte (MT).

Segundo o Exército Brasileiro, para diminuir os impactos, a operação coordena o fluxo de caminhões e veículos em quatro pontos de controle, Novo Progreso, Moraes Almeida, Bela Vista do Caracol e Campo Verde.

De acordo com o Dnit, a BR-163 deverá estar totalmente asfaltada até o final deste ano.