Esqueleto encontrado às margens da MT-240 segue sem identificação

ATUALIZADA DIA 02/08/2017

Paulo Barbosa

ÁGUA BOA – Um cadáver localizado no dia 21 de maio do ano passado, às margens da MT-240 ligando Água Boa com Nova Nazaré, ainda permanece sem reconhecimento. A informação é do chefe da Politec local. Paulo Barbosa disse que material genético de familiares de uma mulher desparecida na região foi coletado.

Porém, após exames, não houve confirmação positiva. Por isso, nesse caso, o cadáver localizado na MT-240 no ano passado, segue sem ser identificado.

Familiares de Sandra Godoy que desapareceu em setembro de 2.015 na região também fizeram exame de DNA para confrontar com o cadáver encontrado, mas o parentesco foi descartado pela Politec.

ABRIL/2016

ÁGUA BOA – Os familiares de Sandra Godoy estiveram em Água Boa nesta segunda-feira, 23 de maio, para recolher material e fazer exame de DNA. O exame de material genético dos familiares será para confrontar com cadáver encontrado por um morador no sábado, 21 de maio, às margens da MT-240, rodovia que liga com Nova Nazaré. Sandra Godoy sumiu no dia 28 de setembro de 2.015, quando viajava de Barra do Garças para Ribeirão Cascalheira. A Polícia Civil investiga o caso. Até agora, não há notícias do paradeiro dela.

Na época dos fatos, um homem foi detido e exaustivamente investigado, mas sem provas, foi liberado. O esqueleto encontrado não foi identificado e não havia documentos junto dele. Apenas uma peça de roupa da marca Kactus. Os ossos foram encaminhados para perícia técnica pela Politec de Cuiabá. Os familiares de Sandra disseram à nossa reportagem que não reconheceram as roupas encontradas junto ao cadáver. Porém, somente exames da Politec poderão confirmar ou descartar o caso. Outra mulher está desaparecida em Cocalinho. A delegada Luciana Canaverde afirma que a investigação pode demorar alguns meses até seu encerramento.

ÁGUA BOA – Um corpo decomposto foi encontrado neste sábado por volta das 10hs da manhã às margens da MT-240, rodovia que liga Água Boa com Nova Nazaré. A localização dos ossos ocorreu por puro acaso. O morador que o encontrou, imediatamente chamou a Polícia Militar.

O corpo foi localizado dentro de um matagal há cerca de um quilômetro do Córrego da Vanda (Jacu), na MT-240, lado esquerdo da rodovia para quem viaja para Nova Nazaré.

Segundo as primeiras informações, os policiais que acompanharam o caso acreditam que a pessoa está morta há vários meses. Tanto que não foi possível reconhecer o sexo da pessoa morta. Ao lado dos ossos, foram encontradas roupas de mulher, como uma calcinha e uma saia. A saia é da marca Kactus.

Não havia documentos com a pessoa, o que torna ainda mais difícil sua identificação. Os ossos foram recolhidos e encaminhados pela Politec para perícia em Cuiabá, o que pode demorar meses.

Por motivos éticos e de respeito, não mostraremos fotografias dos restos mortais. O caso passou a ser investigado pela Polícia Civil de Água Boa. Qualquer notícia sobre o desaparecimento de pessoas pode ser dada à autoridade policial mais próxima.

Trata-se porém, de um grande mistério. Ficam várias perguntas para serem respondidas no futuro: a pessoa foi vítima de morte natural, ou de assassinato? A pessoa morreu no local ou foi ‘desovada’ ali? Após tantos meses, será possível identificar a vítima?