Homem compra fazenda e é mantido em cárcere privado

RIBEIRÃO CASCALHEIRA – Na terça-feira (01), a Polícia Civil apreendeu 4 armas de fogo e mais de 100 munições. Duas pessoas foram autuados pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, cárcere privado e ameaça. A apreensão do armamento, munições e suspeitos foi realizada pelo delegado Dr. Sued Dias S. Junior. O comunicante dos fatos afirmou ter comprado uma fazenda no município de Ribeirão Cascalheira, e quando fazia a demarcação do local, foi surpreendido por 6 homens armados.

O comunicante então se apresentou para o pessoal e disse que ele era o novo proprietário do local e mostrou toda a documentação que comprovava que ele teria comprado de fato a propriedade. Uma dos suspeitos armados disse que o comunicante não poderia entrar no local e que não iriam liberar ninguém antes da autorização do gerente da fazenda. Os homens armados escoltaram o comunicante e as pessoas que com ele estavam até o gerente da propriedade. O homem que então seria o gerente, segundo o comunicante, não quis se identificar assim como os demais homens armados.

O gerente então olhou a documentação do comunicante e disse que o antigo dono da fazenda, teria dado ordem para não permitir a entrada de ninguém. O comunicante e seus acompanhantes ficaram na fazenda das 11hrs da manhã até às 18hs da segunda-feira, 31 de julho, sem poder sair do local. Eles foram ameaçados diversas vezes. Após às 18hrs foram liberados para irem embora.

Na terça-feira (01/08), membros da Polícia Civil se deslocaram até a fazenda para averiguar e intimar os envolvidos. Na fazenda, os policiais encontraram dois suspeitos em um veículo em deslocamento dentro da propriedade rural. Foi realizada abordagem e após buscas, encontrados e apreendidos, 02 revólveres calibre 38, uma espingarda calibre 12, uma carabina calibre 22, e 62 munições calibre 38 intactas, 10 munições calibre 38 deflagradas, 22 munições calibre 12 intactas, 09 munições calibre 12 deflagradas e 22 munições calibre 22 intactas.

Os suspeitos foram detidos e conduzidos à Delegacia de Polícia de Ribeirão Cascalheira, para as demais providências. A Polícia Civil continua a investigação para apurar os fatos denunciados como não permitir acesso à propriedade e cárcere privado.