Iniciam as discussões do Plano de Mobilidade Urbana de Canarana

CANARANA – Começou a ser discutido através de audiência pública realizada na tarde do dia 27, no plenário da Câmara Municipal, o Plano de Mobilidade Urbana de Canarana. Participaram representantes de entidades, do poder público municipal e população. Como poucas vezes até hoje, o plenário lotou.

A Política Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU), instituída em abril de 2012 pela Lei Federal n. 12.587, é um dos instrumentos de desenvolvimento urbano no Brasil e tem como finalidade a integração entre os diferentes modos de transporte e a melhoria da acessibilidade e da mobilidade de pessoas e cargas. A lei estabelece o Plano de Mobilidade Urbana como ferramenta para efetivação dos princípios, diretrizes e objetivos dessa política.

O Plano de Mobilidade Urbana, realizado no âmbito municipal e integrado ao Plano Diretor, deve incorporar os princípios da mobilidade sustentável, com foco no transporte coletivo e não motorizado. A partir de abril de 2015, o Plano passou a ser requisito para receber recursos orçamentários federais destinados à mobilidade urbana em todos os municípios com mais de 20 mil habitantes e os demais obrigados por lei à elaboração do Plano Diretor.

Na audiência pública, cada participante, representando entidade ou não, pode usar do microfone e dar sugestões. Essas sugestões foram anotadas e servirão de subsídios para uma equipe técnica que está trabalhando na elaboração de propostas, que serão novamente apresentadas à população em nova audiência pública. Após, o projeto irá para a Câmara Municipal, onde será debatido e votado entre os vereadores.

Nesta primeira audiência, o foco das sugestões ficou concentrado em estacionamento paralelo ou oblíquo na lateral dos canteiros centrais das avenidas, além de usar os canteiros para estacionamento ou não. Surgiram várias opiniões, porém, o que mais foi consenso é que, independentemente do modelo a ser utilizado, ele precisa ser padrão para toda a cidade, precisa beneficiar todos e pensar a longo prazo.

Também foram feitas sugestões concernentes a implementação de ruas de mão única, faixas de pedestres elevadas, rota de caminhões, novo local para freteiros e chapas, rota de ciclovias, modelo de rotatória, entre outros pontos. Em uma nova audiência, ainda serão tratados outros temas, como ocupação de passeios públicos, modelo de calçadas, entre outros.

A cidade de Canarana foi projetada com ruas e avenidas largas, mas com seu crescimento é natural que sejam necessárias adequações. Como a cidade é um local vivo, sempre se modificando, a mobilidade tem que acompanhar as mudanças. Há opiniões diversas, não se espera acertar em tudo, nem existe dinheiro para implementar tudo, mas o plano é uma regra criada democraticamente para organizar a mobilidade de todas as pessoas que transitam de qualquer forma que seja pela cidade.