Jornal O Pioneiro participa do Diálogos com a Imprensa

BARRA DO GARÇAS – A equipe do J. O Pioneiro participou na noite de sexta-feira, 04, na Câmara Municipal de Barra do Garças, do evento Diálogos com a Imprensa, organizado pelo Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso, que contou com palestras do jornalista Onofre Ribeiro e do cientista político João Edison. Eles falaram sobre as mudanças que o jornalismo passou nas últimas décadas, acompanhando as mudanças tecnológicas e da sociedade.

João Edison disse que hoje acontecem muitos conflitos porque, através das mídias sociais, se comunica para as outras tribos na mesma linguagem que se comunica para dentro da sua tribo. “E quando isso acontece as flechas são lançadas. Noticiamos para fora de nossa tribo como se estivéssemos falando para nossa tribo. Tem coisas que só podem ser ditas na sua tribo”, disse. O cientista político acrescenta que hoje qualquer idiota consegue escrever o que pensa em uma mídia social sem saber nada. Isso provoca o que ele chama de reatividade, em que se cria raiva das pessoas e não do que elas pensam.

Uma boa comunicação, explicou João Edison, precisa conter a notícia (retrato), informação (pormenores) e conhecimento (análise). O jornalista precisa saber interpretar e sempre verificar a fonte.

O jornalista Onofre Ribeiro contou que quando iniciou na profissão, o Brasil estava em uma ditadura e os anseios eram por liberdade de expressão. As redações eram simples, com máquinas de escrever. Em 1995 veio o computador, em 97 a internet, em 99 o celular, depois o smartphone e depois as mídias sociais. Hoje os anseios são outros.

“Surgiu uma inquietação de onde irá parar a comunicação. Eu já tive que me reinventar várias vezes. Quando mudei da máquina de escrever para o computador, tive de me reinventar. Hoje o poder está nas mídias sociais. Ninguém mais tem paciência de ler textos longos. Precisa de textos mais curtos, mais fotos. Precisamos esquecer a saudade do passado e entender a linguagem do futuro”, disse Onofre.

Apesar das redes sociais e da necessidade em reinventar a mídia tradicional, Onofre Ribeiro disse que há algo que ainda é muito forte e ajuda os jornalistas: o localismo, que é a identidade local, ou seja, a tribo local, que ainda necessitará de jornalistas que falem na sua linguagem e que a defendam.