Literatura de Machado de Assis será destaque na quinta-feira em Canarana

CANARANA – Os apaixonados pela literatura nacional certamente já ouviram falar sobre os personagens Bentinho e Capitu de um dos maiores clássicos brasileiros, ‘Dom Casmurro’ de Machado de Assis.

Estes personagens serão relembrados numa encenação que será realizada quinta-feira (29/11), a partir das 18 horas, no plenário da Câmara Municipal de Canarana pela escola Paulo Freire.

O objetivo é mostrar a inteiração dos alunos com a literatura nacional que continua sendo a mais indicada para quem busca conhecimento da Língua Portuguesa e dos costumes brasileiros, explica a professora coordenadora do projeto, Márcia Luft. A banca examinadora terá o apoio jurídico da advogada Lúcia Bensi.

Dom Casmurro é um romance escrito por Machado de Assis, publicado em 1899 pela Livraria Garnier. Escrito para publicação em livro, o que ocorreu em 1900 – embora com data do ano anterior, ao contrário de Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) e Quincas Borba (1891), escritos antes em folhetins –, é considerado pela crítica o terceiro romance da “Trilogia Realista” de Machado de Assis, ao lado desses outros dois, embora o próprio autor não tenha formulado esta categoria.

Invariavelmente a trama gira em torno da suposta traição de Capitu, esposa de um marido ciumento e desconfiado, Bento Santiago, que conta sua história ao narrar o livro.

É preciso, contudo, recordar a história (se é que alguém não a conhece ao menos de ouvir falar ou de alguma aula perdida de literatura no ensino médio). Bento Santiago, o Bentinho, entraria no seminário por uma promessa antiga da mãe, Dona Glória, que jurara fazer o filho sacerdote se ele sobrevivesse ao parto e aos primeiros anos de vida (já que perdera um filho antes de ter tido Bentinho).