Mato Grosso precisa de R$ 111 bi nos transportes

CUIABÁ – Plano CNT de Transporte e Logística 2018 prevê a necessidade de R$ 1,7 trilhão em obras de infraestrutura de transporte e logística no Brasil. Só em Mato Grosso, o investimento necessário apontado é da ordem R$ 111,01 bilhões distribuídos em 95 projetos que visam solucionar os problemas e promover os avanços necessários na infraestrutura de transporte, no Estado. No país, são 2.663 intervenções essenciais, entre urbanos e de integração nacional (eixos estruturantes).

Para as intervenções urbanas, a CNT aponta a necessidade de investimento mínimo nas principais regiões metropolitanas. Em Mato Grosso, o montante é da ordem R$ 1,8 bilhão no chamado Vale do Rio Cuiabá. Divulgado, na última segunda-feira (27), o plano da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) é considerado um amplo levantamento dos projetos de infraestrutura necessários para solucionar os problemas atuais e modernizar o setor de transporte brasileiro.

Ainda, conforme a pesquisa, os projetos de integração nacional compreendem nove eixos estruturantes de transporte, formados por conjuntos de infraestruturas (de mesmo modal ou de modais diferentes, como aeroportuário, rodoviário, ferroviário, hidroviário, portuários e terminais).

São eles: Nordeste-sul (R$ 262,3 bilhões), eixo Litorâneo (R$ 270,4 bilhões), Norte-sul (R$ 313,1 bi), Amazônico (R$ 18,3 bilhões), Nordeste-sudeste (R$ 108,5 bi), eixo Cabotagem (R$ 122 bilhões), Norte-sudeste (R$ 86,7 bilhões), Leste-oeste (R$ 119 bilhões) e Centro-norte (R$ 64,7 bilhões).

O objetivo do levantamento, conforme a CNT, é ampliar a disponibilidade e melhorar a qualidade da infraestrutura de transporte, aumentar a eficiência logística e criar infraestrutura multimodal de modo a diminuir custos.