Mauro Mendes cita Escola 31 de Março em sua primeira entrevista

CUIABÁ – O candidato Mauro Mendes (DEM), eleito governador de Mato Grosso no domingo (7), foi entrevistado no Bom Dia Mato Grosso na segunda-feira (8). Ele foi eleito em primeiro turno e teve 58,69% dos votos válidos.

Durante a entrevista, Mauro Mendes falou sobre ações na educação, saúde e transporte. Ele disse que pretende fazer cortes em secretarias e cargos comissionados.

O governador eleito também comentou sobre um dos principais problemas no estado: a obra parada do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que era prevista para a Copa do Mundo de 2014.

Confira os principais trechos da entrevista:

 “Mato Grosso é um estado quebrado. Eu falei isso durante toda a campanha e tentei mostrar essa dura realidade que vive o estado. Hoje temos milhares de fornecedores em atraso. Com oito meses, mais de ano sem receber. Nós temos atraso de quase R$ 150 milhões para com os municípios na área da saúde. Hoje todo o Mato Grosso tem a sua prefeitura com grande dificuldade em cuidar da sua saúde porque o estado não está repassando dinheiro. Temos o atraso de 10 dias na folha de pagamento e um déficit muito grande na previdência, nós temos hospitais que fecharam por falta de pagamento. Existe uma dura realidade fiscal”, lembrou Mendes.

O governador eleito disse que vai tomar medidas para que Mato Grosso seja um estado ‘menor e mais eficiente’.

“O grande problema não está na peça orçamentária. O grande problema está em como fazer para reduzir despesa no estado dentro da máquina pública, para fazer sobrar dinheiro. Como pode arrecadar tanto e ter problemas seríssimos, obras paralisadas por todo estado, uma saúde que não funciona de maneira alguma?”, comentou.

VLT

 Ao ser questionado sobre o VLT, Mendes declarou que deve revisar tudo aquilo que já foi feito, tentado ou planejado em relação ao modal.

“Certamente o VLT é muito importante na Baixada Cuiabana, entre Cuiabá e Várzea Grande, mas o cidadão lá da cidade de Tesouro e Guiratinga, ele está preocupado com a MT-110. Lá em Canarana, a grande preocupação da cidade é a Escola 31 de Março, que há um ano e meio foi demolida. Uma escola de mil alunos foi demolida para fazer uma grande reforma”, alertou.

Servidores

 Desde novembro de 2016 o atual governador, Pedro Taques, mudou a folha de pagamento dos servidores para o dia 10 de cada mês. À época, a alegação da administração estadual para a adoção da medida era a crise econômica.

A respeito desse assunto, Mauro Mendes afirmou que colocar o pagamento para o dia 30 de cada mês é uma das prioridades.

“Eu disse isso e falei claramente, que esse é um objetivo e uma meta e nós vamos ter que trabalhar para isso. Trabalhar mais, mais determinação e cada um cumprindo seu papel para tornar o estado mais eficiente. Se tivermos um estado que arrecade mais e gaste menos, vai ter dinheiro sim para pagar no dia 30. Vamos reduzir secretarias, vamos cortar cargos comissionados. Vou cortar aquilo que não prejudica o serviço público e o cidadão”, finalizou.