MPE investiga falta de efetivo nas delegacias

Dra. Alice

ÁGUA BOA – O Ministério Público Estadual instaurou inquérito civil para investigar uma situação levantada pelo delegado de polícia substituto da comarca, sobre a falta de efetivo.

O delegado informou que estava cumprindo sua jornada de trabalho das 13 às 19hs, e que após esse período, os presos teriam que ser deslocados para outra delegacia. Um só delegado é responsável atualmente pelas delegacias de Canarana, Cocalinho e Água Boa.

A promotora informou que na noite de 20 de setembro, recebeu telefonema da Polícia Militar, informando que a polícia civil se negava a receber presos e menores apreendidos, argumentando que estes deveriam ser levados a Barra do Garças. A Polícia Militar informou na data, que não podia fazer esse deslocamento para a lavratura de um eventual flagrante para não deixar a cidade desguarnecida.

A promotora afirmou que a postura da Polícia Civil pode causar grave prejuízo ao trabalho policial e à segurança da cidade. A Dra. Alice Cristina de Arruda e Silva Alves salientou que a confecção do flagrante é exclusividade da Polícia Civil. A promotora afirmou que o policial civil deve atuar sempre, mesmo excedendo a jornada de trabalho, para a garantia da ordem pública. As investigações podem levar a futuro Termo de Ajustamento de Conduta.