Polícia avança nas investigações do bárbaro assassinato do jovem de 15 anos

CANARANA – Um jovem de 15 anos que morava com a avó. Estudava, trabalhava e não tinha passagens pela polícia. Brincava de soltar pipa e sonhava em ter um moto de centenas de cilindradas. Essas são as informações passadas pela Polícia Civil através do depoimento de familiares, amigos e professores, sobre como era o jovem Rodrigo Bueno, que foi cruelmente assassinado na madrugada de sábado, 07, em Canarana.

A Polícia Civil não divulga muitas informações porque pode atrapalhar nas investigações. Mas o que se pode divulgar, é que Rodrigo estava na madrugada de sábado em um bar bem no centro da cidade. Estava na hora errada e no lugar errado. Por volta das 2h00, homens chegaram em um carro e sequestraram o menino jogando ele para dentro.

Seu corpo foi encontrado na tarde do mesmo dia, na beira de uma lavoura de milho, região da 3ª Agrovila, a 5 km da cidade, por um trabalhador que transitava pelo local. A Policia Militar encontrou uma poça de sangue e um celular na beira da estrada. O corpo foi arrastado por cerca de 8 metros até o milharal, foi parcialmente queimado e tinha sinais de facadas, cortes no pescoço e na orelha, demonstrando que antes de ser assassinado, Rodrigo foi torturado.

A Polícia Civil foi acionada e posteriormente a Politec. Nossa reportagem conversou ainda no domingo com o investigador Gustavo Reckziegel, que passou as primeiras informações. Nesta segunda-feira, 09, conversamos com Valdivino Vital – chefe de investigações da PC. Valdivino disse que os trabalhos de investigação estão bem adiantados e que nos próximos dias a polícia apresentará os resultados, quem sabe com a prisão dos autores do crime.

A principal suspeita é que Rodrigo tenha sido morto por engano. Mas para não atrapalhar o caso, a história não será revelada, por enquanto. Um jovem inocente que estava no lugar errado e na hora errada, sendo confundido com a pessoa errada. Pagou pelo que não devia, num dos crimes mais bárbaros da história desta cidade.