Polícia prende herdeiro de fazenda em Canarana sob suspeita de receptação de produtos furtados

CANARANA – A Polícia Civil de Canarana prendeu na manhã desta quarta-feira, 18, em uma fazenda no interior, região da Matinha, três homens, sendo o gerente e dois funcionários, sob suspeita de adulteração de veículos e receptação de produtos de furto. A PC continua a investigação para saber se eles também participaram de roubos praticados na região.

O que estranha é que a fazenda tem quase 3 mil hectares e nela são desenvolvidas as atividades de agricultura com o plantio de soja e outras culturas e ainda a pecuária. O gerente é filho do dono, que reside em Água Boa. Mesmo possuindo todo esse capital, aparentemente utilizava da fazenda para esconder veículos e outros produtos oriundos de roubos.

Tudo começou quando a polícia encontrou no dia 25 de junho, uma careta com 60 mil litros de óleo diesel escondidos no meio da mata dentro da fazenda. A carreta tinha sido roubada no mesmo dia na BR-158, a 5 km do trevo de Canarana. Ela ia em direção a Querência, quando o motorista foi abordado por criminosos em um carro Ford Fusion preto. Eles estavam armados.

Segundo o motorista, os bandidos amarraram uma tolha em sua cabeça, depois tomaram o controle do caminhão e transitaram por cerca de 30 quilômetros até entrar em uma estrada vicinal, rodaram por mais 15 km e deixaram o reboque em uma área de reserva. O motorista foi deixado na BR-158 e o cavalinho foi abandonado a 16 km de Água Boa.

Na operação realizada nesta quarta-feira, 18, a Polícia Civil teve a companhia do Ministério Público de Canarana. Na fazenda, ao cumprir a prisão dos suspeitos devido ao caso do furto do combustível, os policiais encontraram outra carreta com cavalinho roubada há dois anos escondida no meio do mato com sinais de adulteração, além de motos furtadas e adulteradas, uma espingarda calibre 12 sem registro e um cofre, que foi trazido para a cidade para ser aberto por um chaveiro. Também foi verificado crime ambiental na fazenda com o desmate ao redor de uma nascente.

A Polícia não conseguiu vistoriar todos os veículos e maquinários da fazenda, mas não descarta encontrar mais sinais de crimes. Eles devem voltar à propriedade para concluir as vistorias. Conforme o Dr. Deuel Paixão de Santana, delegado de Canarana, as investigações prosseguem no sentido de descobrir se há mais ilícitos na fazenda, além de descobrir os autores do furto da carga de combustível.

“Eles alegam que compraram a carga de combustível, mas nós trabalhamos na linha de participação deles, uma vez que após a prática do roubo, o pessoal do Fusion escoltou a carreta até a fazenda e lá esconderam a carga… Encontramos várias clareiras abertas na reserva da fazenda, o que indica que já vinham há algum tempo escondendo produtos. Trabalhamos na linha que não estavam apenas ocultando produtos ilícitos, mas também participando dos roubos”, disse o delegado.