Ponte do Cocalinho está com 90% das obras executadas

COCALINHO – O secretário Vilmar Rocha (Secima) visitou na quarta-feira, dia 30, as obras da ponte sobre o Rio Araguaia que liga Aruanã a Cocalinho, em Mato Grosso. O titular da Secretaria de Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente de Goiás esteve no local acompanhado de superintendentes da pasta e dos engenheiros do consórcio responsável pelas obras, além do prefeito Luis Henrique do Amaral, da cidade mato-grossense.

A chamada Ponte do Cocalinho é a maior ponte de vão livre que Goiás já construiu. Tem 577 metros de comprimento e o vão central mede 150 metros, com elevação de 50 metros da linha d’água, o que permitirá a navegação comercial no trecho do rio.

Demanda antiga da região, a obra começou em 2001 e foi construída através de Parceria Público Privada (PPP) entre o Consórcio Caminhos do Sol e o Governo de Goiás que já investiu mais de R$ 28 milhões na construção da ponte. “É uma obra importante e fundamental para consolidarmos a maior integração econômica e social entre Goiás e Mato Grosso”, explica Vilmar Rocha.

Na visita técnica, o secretário pôde percorrer a ponte de carro e observar o que ainda falta para a conclusão da obra. “Já estamos com mais de 90% da obra concluída”, afirma Caio Bertasso, engenheiro da Contern, uma das empresas responsáveis pela ponte. “Falta o término de três bueiros, parte do aterramento e a pavimentação, além da praça de pedágio”, esclarece o engenheiro. Para finalizar essa parte, a previsão do consórcio é de mais 70 dias.

Travessia
A Ponte do Cocalinho será uma importante via de escoamento da produção de soja e carne de Mato Grosso para Goiás e demais estados do País, bem como a ida de produtos comprados em Goiás e que abastecem Cocalinho e outros municípios da região. “Para nós, será fundamental essa ponte. Nós dependemos muito de Goiânia e de cidades de Goiás para abastecer o nosso comércio e as nossas fazendas”, afirma o prefeito Luís Henrique.

Atualmente, a travessia nesse ponto do Araguaia é feita por balsa e, em horários de pico, a espera chega a ser de uma hora. “São carretas grandes que transportam gado e grãos, que chegam em comboio, e fazem uma fila enorme para aguardar a travessia”, diz o prefeito.

A previsão é que a ponte garanta mais rapidez, segurança e comodidade para a população, produtores e motoristas que dependem dessa travessia. “Essa obra é mais uma demonstração da preocupação do Governo de Goiás com as pessoas, em atender bem a população não só de Goiás, mas também de estados vizinhos”, diz Vilmar Rocha. “É uma grande obra física sim, mas a sua maior grandeza é o benefício que ela levará a toda a população dessa região”, conclui.