Primavera do Leste – Dona de casa morre carregando o celular

Ana Nery Alves Borges é encontrada em casa, agonizando, e a maior suspeita é a de que tenha levado choques Foto: Divulgação

Uma dona de casa, de 47 anos, foi encontrada caída e agonizando em sua residência, na manhã desta terça (27), em Primavera do Leste. Horas depois, ela morreu. A principal suspeita é de que a mulher tenha tomado choque ao tentar retirar o celular da tomada, após carregar o aparelho.

De acordo com a Polícia Civil, Ana Nery Alves Borges foi encontrada no chão do quarto de sua casa, por volta das 10h30, por uma equipe do Corpo de Bombeiros. Ela agonizava, mas não tinha forças para se mexer.

O Corpo de Bombeiros chegou ao local após conhecidos da mulher acionarem o resgate. Vizinhos disseram que ouviram os gemidos dela e se assustaram. A suspeita é de que Ana tenha permanecido caída no chão por cinco dias.

“A casa dela estava trancada e ninguém viu nada. Os vizinhos chegaram a sentir falta, mas escutaram gemidos e, a princípio, não conseguiram perceber o que estava acontecendo”, disse o escrivão Agrício Junior, da Polícia Civil.

Os vizinhos somente encontraram a mulher, segundo a Polícia Civil, na manhã desta terça, após uma conhecida decidir entrar na casa da dona de casa para descobrir o motivo do desaparecimento de Ana.

Em seguida, o Corpo de Bombeiros chegou ao local. A mulher não conseguia pronunciar palavras e apenas gemia. Ela estava com os pés enrolados em um fio telefônico e o celular estava próximo a ela.
Conforme as apurações iniciais, Ana tomou choque em uma extensão, na qual havia colocado o celular para carregar. Depois do choque, ela, que morava sozinha, permaneceu grudada na tomada e perdeu as forças, caiu e permaneceu no chão por dias.

Logo que foi socorrida, ela foi encaminhada para uma Unidade de Pronto-Atendimento de Primavera do Leste. Pouco após dar entrada no local, ela teve parada cardiorrespiratória e faleceu.

A Politec foi à residência em que a mulher vivia, para apurar a morte dela. Um inquérito será instaurado pela Polícia Civil para investigar o caso.

O corpo de Ana permanece no IML e deve ser liberado nas próximas horas. Parte da família dela mora em Poxoréu, onde ela nasceu. Apenas uma irmã da dona de casa também mora em Primavera do Leste.