Programa “A União Faz a Vida” transforma a arte de ensinar e aprender

Em 2018 foram desenvolvidos mais de 200 projetos nas cidades de Canarana e Querência

Ensinar é aprender. Ensinar é fornecer meios para a edificação do conhecimento: Ser professor. A mais nobre das profissões. São muitas as maneiras de cumprir com a missão do despertar para o conhecimento e preparar uma criança ou jovem para a vida. De todas, a que se comprova uma das mais eficazes é através da união: O ato de comungar empenho de toda uma comunidade visando beneficiar quem está aprendendo. A união entre professores, alunos, pais, poder público e privado.

Em 2018, a união gerou frutos por mais um ano nos municípios mato-grossenses de Canarana e Querência. A união foi capaz de promover o desenvolvimento de crianças e jovens através de 205 projetos desenvolvidos nas escolas destas cidades no decorrer do ano. São projetos que abordam temas como educação no trânsito, combate ao preconceito racial, hábitos alimentares, respeito a natureza e é claro, das próprias vantagens da união.

O “A União Faz a Vida” já está presente na região desde 2013 e se desenvolve através de uma parceria entre a Sicredi, as Secretarias Municipais e Estadual de Educação, apoiadores financiadores do setor privado e dos próprios professores das escolas que desenvolvem os projetos. O programa trabalha com uma metodologia diferenciada de ensino, baseada na metodologia por projetos. Soma didáticas com a atual forma de ensino, através de um método dinâmico que faz com que as crianças e jovens, em conjunto com os professores, sintam-se engajados e motivados para desenvolver o seu próprio aprendizado. O despertar para o conhecimento ocorre naturalmente e parte das próprias crianças e jovens.

No município de Canarana, participaram do programa em 2018 aproximadamente 3.056 alunos e 85 professores. Em Querência, aproximadamente 3.130 alunos e 105 professores. A expressividade dos números e o sucesso dos projetos desenvolvidos são o resultado da cooperação entre os envolvidos e principalmente, do comprometimento dos professores. A exemplo, professora Maria José Araújo (Peninha) da Escola Municipal Monteiro Lobato em Canarana, que já atua com o programa a três anos e desenvolveu o projeto “As formiguinhas”, em que os alunos do quarto ano matutino, após assistirem um filme em desenho animado sobre o tema, se interessavam mais sobre a vida dos insetos, estudaram seus hábitos e aprenderam a importância da união para vencer desafios.

“Mudou minha prática pedagógica. Através dos projetos desenvolvidos, eu pude alcançar os objetivos que eu queria com meus alunos. A construção do conhecimento aconteceu através dos próprios educandos. Tudo que eles aprenderam partiu deles. O professor foi um mediador. Eles aprendem naturalmente”, afirma a professora.

O Presidente da Sicredi Araxingu, Eldo Renck, exalta que nesse final de 2018, é tempo de agradecer aos envolvidos: “O programa é um trabalho de responsabilidade social que tem o Sicredi apenas como o gestor e como um dos patrocinadores. A cooperativa só tem a reconhecer o esforço coletivo. E quanto mais pessoas da nossa comunidade estiverem engajadas em construir um futuro melhor para nossos jovens e nossas crianças, com certeza melhores serão os frutos que colheremos no futuro. Nos teremos cidadãos mais comprometidos com todas as causas”.

O programa encerrou 2018 com um evento na Câmara de Vereadores de cada município que contou a uma palestra dos “Caçadores de Bons exemplos”, uma missão do casal Iara e Eduardo Xavier, que viajam pelo País compartilhando projetos e pessoas que são exemplos e inspirações para um mundo melhor. Indo de encontro a mensagem passada pelo casal, nos dias 26 e 27 de novembro, foram compartilhados os projetos desenvolvidos pelos alunos em escolas dos dois municípios em que o Programa atua. Todos os projetos foram expostos e os alunos tiveram a oportunidade de explicar aos visitantes como estes foram desenvolvidos.

Em Querência, a Secretária Municipal de Educação, Rosita Maria Hahn, falou do motivo de tantos projetos apresentados e reconheceu o avanço adquirido na educação: “Essas apresentações são o que acontece na escola. A gente só direciona naquilo que o aluno tem interesse. Esse programa está melhorando a educação. Só com a união de todos nós, conseguiremos melhorar a educação. União Faz a Vida, escola e família”, concluiu Rosita.

Para conhecer mais sobre o programa e dos projetos desenvolvidos acesse: http://www.auniaofazavida.com.br/