Chama Crioula em comemoração aos 25 anos do MTG/MT passou por Canarana

CANARANA – Em 14 de agosto de 1993, no CMTG Bento Gonçalves da capital Cuiabá, reunia tradicionalistas de todo o Mato Grosso para fundarem o Movimento Tradicionalista Gaúcho do Mato Grosso (MTG/MT), tendo como fundador e primeiro presidente José Antonio de Oliveira, o “Zézinho”.

Vinte e cinco anos se passaram. Um MTG além das fronteiras do Rio Grande que ainda mantém viva a memória daqueles oito bravos jovens de 1947 no Rio Grande do Sul. Buscando sempre exaltar uma tradição que não se rendeu às tentativas de apagar as culturas regionais, que não deixou adormecer os princípios que nos faziam gaúchos. Da tradição de um povo que, liderados por jovens, guia até hoje, mais de 70 anos depois, outros milhares de jovens, Brasil a fora.  Jovens que buscam as mesmas causas, que são difusores de opiniões, que são liderança dentro do Movimento, que carregam ideologias de sucesso e que lutam pelos mesmos valores que lutava Paixão Côrtes.

O MTG Mato Grosso completou neste mês de agosto 25 anos de história e de luta. Sobrevivendo as adversidades naturais e sociais. Se construindo a base de um povo que saiu do Rio Grande, mas que o Rio Grande jamais saiu deste povo. Tradicionalistas que junto as entidades que se foram firmando, construíram famílias e legados. Ergueram entidades de sucesso e que até hoje desenvolvem crianças, jovens e pessoas de todas as idades nos valores e virtudes que fazem o gaúcho.

Na noite de terça-feira, 14, o CTG Pioneiros do Centro Oeste teve a honra de presenciar o acendimento da “Chama Crioula do MT”, em comemoração dos 25 anos. Após, a chama foi levada para o CTG Porteira do Araguaia de Serra Dourada, onde sucessivamente passaram por todos os CTG’s do estado, simbolizando o apego do gaúcho à sua terra, o seu nativismo, seu telurismo e que a história gaúcha continuará viva nos corações dos tradicionalistas destes rincões.