Corregedor ameaça fechar cartório eleitoral se Canarana não atingir 70% de cadastramento biométrico

CUIABÁ – Sem tempo hábil ou mesmo estrutura, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) está fazendo o cadastramento biométrico dos eleitores em 26 municípios do Mato Grosso. Com prazo até 29 de março, o TRE ameaça fechar os cartórios que não atingirem 70% de cadastramento. O processo iniciou no mês de dezembro do ano passado, período do ano em que muitos estão de férias.

Acontece que em municípios como Canarana, por exemplo, onde existem pouco mais de 15 mil eleitores (15.036), só se consegue atender em torno de 170 eleitores por dia e, com menos de 30 dias úteis para o trabalho, ainda restavam mais de 11.500 eleitores para serem cadastrados até a última semana. Para atingir a meta, seria preciso cadastrar em torno de 400 eleitores por dia.

Conforme o chefe da 31ª Zona Eleitoral de Canarana, José Barretos, a estrutura do cartório que atende os municípios de Canarana e Ribeirão Cascalheira, permite fazer a biometria de quatro pessoas ao mesmo tempo. Até a última quinta-feira, 14, pouco mais de 3.500 eleitores haviam feito o cadastramento. Os eleitores de Cascalheira não precisam fazer a biometria neste momento.

Para fazer o cadastramento, o cartório recebeu quatro kits de biometria. Para se ter uma ideia, em Água Boa são sete kits. Porém, mesmo que viessem mais equipamentos para cá, de nada adiantaria. O cartório tem apenas quatro funcionários com o chefe, sendo que dois são cedidos pela Prefeitura. Nesta semana a justiça pediu mais três funcionários para a Prefeitura, que deverá atender ao pedido, mesmo não sendo de responsabilidade dela, inchando a folha salarial do município.

Devido as condições, o horário de atendimento foi ampliado das 7h00 às 19h00 de segunda a sexta-feira. Porém, na quinta-feira, 14, o cartório ficou sem internet na parte da tarde e nenhuma biometria foi feita. Muitos moradores, com isso, têm perdido a viagem, principalmente do interior. Além disso, pelo espaço ser pequeno, quando as filas se acumulam muitos eleitores ficam para o lado de fora em pleno sol escaldante.

Se não bastasse todo esse cenário, o prefeito de Ribeirão Cascalheira foi cassado e uma nova eleição marcada para o dia 07 de abril. Ou seja, os funcionários do cartório terão que tirar tempo e cancelar os atendimentos para preparar a eleição para prefeito na cidade vizinha, o que diminuirá ainda mais a quantidade de atendimento para cadastramento.

Esse quadro já foi comunicado ao TRE, mas mesmo assim está sendo exigido uma meta impossível de alcançar. O corregedor regional eleitoral de Mato Grosso, desembargador Pedro Sakamoto, disse que quem não comparecer até o dia 29 de março terá seu título cancelado. “Fazer a revisão não é uma escolha para o cidadão/eleitor, mas uma obrigatoriedade… não haverá prorrogação. A zona eleitoral do município que não atingir a revisão de pelo menos 70% de seu eleitorado, corre o risco de ser extinta ou remanejada para outro município”, ameaçou.