Dono da Havan critica projeto de Carlos Bezerra sobre ‘licença-menstruação’

Foto Facebook Luciano Hang

BRASÍLIA – O empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, criticou o Projeto de Lei 1143/19, de autoria do deputado federal por Mato Grosso Carlos Bezerra (MDB), que trata sobre a “licença-menstruação”. Hang afirmou que seria muito prejudicado com o benefício, já que 85% de seus funcionários são mulheres. Ele afirma que “quanto mais direitos trabalhistas, menos empregos os brasileiros vão ter”.

O dono da Havan utilizou seu perfil no Instagram para criticar o projeto do mato-grossense. Ele cita que a proposta busca oferecer três dias de afastamento do trabalho às mulheres durante o período menstrual e classificou o PL como “populista”.

“Quanto mais direitos trabalhistas, menos empregos os brasileiros vão ter. Olhem só o Projeto de Lei populista ‘Licença-Menstruação’, de autoria do deputado Carlos Bezerra (MDB-MT). Se aprovado, todos os meses as mulheres poderão faltar até três dias de trabalho durante o período menstrual”.

Para elaborar o projeto, Carlos Bezerra se inspirou em notícia veiculada na imprensa sobre uma empresa britânica que adotou esse tipo de licença. “O afastamento do trabalho durante a menstruação tem respaldo científico e é defendido por médicos, levando-se em conta as alterações sofridas pelo corpo feminino durante esse período”, explicou o autor do PL.

“Os empregos no Brasil estão voltando a crescer e a economia a prosperar, leis como essas atrasam o desenvolvimento. Imaginem aqui na @havanoficial, onde 85% dos colaboradores são as competentes mulheres, ou seja, são 18.500 mulheres. Imaginem o impacto gigantesco que teria na produtividade se todas elas faltassem todos os meses?”.