Em acordo com o elenco, Palmeiras adia contatos por renovações

Paulo Nobre Mauricio Galiotte Cuca Palmeiras (Foto: Felipe Zito)Paulo Nobre (à esq.) conversa com seu sucessor, Mauricio Galiotte, e o técnico Cuca (Foto: Felipe Zito)

A diretoria do Palmeiras já definiu o cronograma para discutir eventuais renovações de contrato dos atletas que têm vínculo até o fim do ano. Em acordo costurado com a comissão técnica e os jogadores, a cúpula deve definir até o encerramento do Campeonato Brasileiro as situações de todos os atletas.

A última rodada da competição nacional está marcada para o dia 4 de dezembro, quando o Verdão enfrenta o Vitória, fora de casa. A eleição presidencial do clube acontecerá no dia 27 de novembro. As negociações serão encabeçadas pelo novo presidente: Mauricio Galiotte, atual vice de Paulo Nobre, é candidato único no pleito.

Mesmo com a certeza de que emplacará seu sucessor, Nobre mantém a cautela sobre o planejamento do Palmeiras para 2017. Publicamente, o mandatário apenas admite que o projeto da próxima temporada já começou, mas faz mistério sobre qualquer detalhe e deixa a cargo do próximo empossado as decisões sobre o departamento de futebol.

A ansiedade da torcida é grande não só pelos jogadores, mas por conta do técnico Cuca e do diretor de futebol Alexandre Mattos, que também têm contrato somente até dezembro. A continuidade de ambos ainda é uma incógnita. O momento é de foco total no Campeonato Brasileiro, principal objetivo do clube na temporada.

VEJA A TABELA DO BRASILEIRÃO

Dos atletas com vínculo prestes a se encerrar, o volante Gabriel é o que tem situação mais encaminhada. O jogador já chegou a um acordo por mais cinco anos de contrato com o Palmeiras, embora ainda não tenha assinado a renovação.

Ainda aguardam contato da diretoria o goleiro Jailson, o zagueiro Roger Carvalho, os laterais Zé Roberto e Fabiano e o atacante Alecsandro.

E MAIS: Alecsandro detona “amadorismo e falta de sensibilidade” do TJD-SP

À parte das negociações, há decisões importantes a serem tomadas nesse contexto. Cuca, por exemplo, já chegou a levantar a possibilidade de retornar ao futebol chinês, onde trabalhou entre 2014 e 2015. Zé Roberto, aos 42 anos, mantém dúvida sobre sua possível aposentadoria.