Justiça autoriza família de Cuiabá a plantar maconha para medicar criança

Foto - Ednilson Aguiar/O Livre


CUIABÁ – Uma família de Cuiabá conseguiu na Justiça autorização para o plantio de maconha medicinal em casa. O remédio, produzido à base de canabidiol, será usado no tratamento de um menino de 11 anos. A decisão é do juiz Paulo César Alves Sodré e foi publicada na segunda-feira (24). A criança foi diagnosticada com esclerose tuberosa, síndrome convulsiva refratária e autismo ainda nos primeiros meses de vida. O remédio usado pelo menino é feito com o extrato da Cannabis Sativa. Por causa do custo elevado, a família não tem condições de bancar a compra da medicação.

A plantação

A família, na verdade, já cultiva as plantas em casa desde 2015. Ao todo, são 20 plantas para a extração contínua. O pedido à Justiça foi feito para que eles possam importar sementes geneticamente modificadas. O objetivo é obter o máximo de canabidiol possível.

Necessidade do medicamento

Ao completar dois anos de idade, as convulsões no menino, segundo os pais, se tornaram cada vez mais frequentes. O número foi de 39 crises convulsivas em um período de 70 horas. O paciente chegou a usar 11 medicamentos na tentativa de melhorar o quadro clínico. Além dos efeitos colaterais, eles foram classificados como ineficazes no controle das crises. Há cinco anos, a criança passou a utilizar o canabidiol como alternativa terapêutica, com prescrição médica. O resultado foi de melhora clínica importante e diminuição das crises.

Matéria completa no link