Polícia prende suspeitos de integrar quadrilha em caso de roubo de gado que gerou protesto em Barra do Garças-MT

A Polícia Judiciária Civil de Barra do Garças-MT deflagrou na segunda-feira (18/11) a Operação Boi Bandido 2 para cumprimento de mandados de prisões e de buscas e apreensões contra alvos suspeitos de roubo de gado.  A operação conduzida pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) do município tem como base as investigações do furto de 41 cabeças de gado bovino, ocorrido no mês de outubro em uma fazenda do município. Cinco suspeitos tiveram as ordens de prisões cumpridas, após terem a participação identificada na ação criminosa.

O gado furtado da fazenda em Barra do Garças foi recuperado logo após o crime, em outra propriedade também na região, ocasião em que foram realizadas as prisões em flagrante de dois suspeitos, que na época foram liberados em audiência de custódia.

Segundo o delegado da Derf, que coordenou as investigações, Nelder Pereira Martins, as provas colhidas durante a investigação trouxeram evidências de que os suspeitos compunham uma quadrilha de roubo, com crimes reiterados e modus operandi similar na prática criminal. Dentre os identificados, está um funcionário da propriedade. O delegado representou pelos pedidos de prisões dos envolvidos, inclusive dos que foram detidos em flagrante na ocasião do furto.

Os mandados de buscas e apreensões foram cumpridos em uma fazenda onde foram localizadas as reses e em comércios suspeitos da venda de gado abatido clandestinamente. Foram apreendidos também veículos dos suspeitos do crime, sendo duas caminhonetes e dois veículos de passeio. Nas residências dos suspeitos, os policiais apreenderam outros materiais como duas armas de fogo (um revólver e uma espingarda calibres 38); R$ 14 mil em espécie não declarados e sem comprovação da origem, além de mais de R$ 20 mil em cheques e documentos diversos.

Protesto

A soltura na audiência de custódia dos dois suspeitos presos em flagrante logo após o furto, revoltou a classe produtora de Barra do Garças, que realizou no dia 29 de outubro, através do Sindicato Rural, Famato (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso) e da Acrimat (Associação dos Criadores de Mato Grosso), um protesto contra o chamado “prende da polícia e o solta da justiça”.

Conforme os organizadores, essa situação era corriqueira em Barra do Garças. Não se sabe se a prisão dos envolvidos no último dia 18 estão relacionados com a pressão realizada pelo protesto, mas um integrante do Sindicato Rural de Barra do Garças ouvido pela reportagem da AGRNotícias disse esperar que o cenário de agora em diante seja diferente.

O crime

Em 21 de outubro, 41 cabeças de gado bovino foram furtadas de uma propriedade rural do município de Barra do Garças e recuperadas pela Polícia Judiciária Civil com apoio da Polícia Militar, poucas horas após o crime.

A ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Barra do Garças com apoio da Delegacia de General Carneiro resultou em dois homens presos e na apreensão de vários objetos utilizados para abate clandestino de gado. Os suspeitos foram autuados em flagrante por furto qualificado (abigeato) e associação criminosa.

O furto ocorreu na Fazenda Agropecuária de Barra do Garças SA. Na ocasião, os autores usaram um veículo tipo caminhão para o transporte dos animais. O rebanho confinado foi localizado na Fazenda Jatobá.