Revitalização do Araguaia iniciará nova fase de recuperação de bacias hidrográficas do País

ARAGARÇAS – Nesta quarta-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, o Governo Federal lançou o projeto ‘Juntos pelo Araguaia’, que vai atuar na revitalização da bacia hidrográfica de um dos mais importantes mananciais do Brasil. A iniciativa, segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, será o primeiro passo em direção à recuperação das principais redes de rios do País. Com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, o lançamento ocorreu em Aragarças (GO), na divisa com Barra do Garças (MT).

“Iniciaremos um novo marco na área de revitalização no Brasil. O Araguaia será o primeiro, mas não o único, porque temos preocupação com todos os rios do nosso País. Ainda nos esperam o São Francisco, o Parnaíba e o Taquari, dentre outros. Temos 12 bacias hidrográficas de grande porte e que precisam do mesmo cuidado e atenção”, destacou Canuto.

Para efetivar o projeto, foi firmado um acordo de cooperação técnica entre a União e os governos de Goiás e do Mato Grosso. O documento prevê a elaboração de estudos técnicos e do projeto executivo para a definição de áreas prioritárias no Alto Araguaia, passíveis de ações de recuperação da bacia. O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) vai investir R$ 2,8 milhões no material.

Com 2.114 quilômetros de extensão, o Rio Araguaia tem sua nascente na Serra do Caiapó, entre a divisa dos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A bacia representa mais de 14% do território mato-grossense e 25% da área do estado goiano. Além disso, tem 77% do seu curso no Cerrado e outros 23% no bioma amazônico. Toda a área adjacente ao Araguaia tem relevante importância ecológica, turística, socioeconômica e cultural.

“As principais ações do plano são a identificação das áreas de recarga, a recuperação daquelas que estão degradadas, a proteção delas e, depois, o desassoreamento da calha dos rios que são os afluentes do Araguaia, justamente para permitir quantidade de água compatível. Há uma possibilidade, ainda, de 1.160 quilômetros serem passíveis de navegação, o que não ocorre hoje devido ao assoreamento e ao baixo volume de água. E a navegação por hidrovias é uma modalidade de transporte muito mais barata e que pode desenvolver economicamente a região”, explicou o ministro Gustavo Canuto.

Em um primeiro momento, o projeto atuará nas áreas de recarga de aquíferos e cabeceiras do Rio Araguaia. Os mapeamentos já indicam que os trabalhos de recomposição florestal e conservação de solo e água deverão ter ações iniciais em 10 mil hectares – 5 mil em cada unidade federativa. No total, os levantamentos vão abranger uma área de 2,7 milhões de hectares em 15 cidades de Goiás e outros 2,3 milhões em 12 municípios de Mato Grosso.

Para o presidente Jair Bolsonaro, o ‘Juntos pelo Araguaia’ retrata o compromisso do Governo Federal com o desenvolvimento sustentável. “A revitalização da bacia do Araguaia, bem como outras que teremos pela frente, é o maior exemplo que podemos dar ao mundo de que estamos, sim, preocupados com o meio ambiente, mas também perfeitamente casados com a economia, com o que se desenvolve na região”, disse.

Todo o território nacional

A revitalização de bacias é uma das políticas do MDR. Equipes técnicas da Pasta têm trabalhado no Programa Nacional de Revitalização de Bacias Hidrográficas, com previsão de entrega do documento-base em 2020. Nele, deverão constar diretrizes, estratégias, metas e critérios técnicos para priorização de sub-bacias críticas. O programa visa conservar e recuperar os rios brasileiros a partir de ações integradas.

A iniciativa fomenta a formulação e implementação dos programas estaduais e distrital de revitalização de bacias hidrográficas. É neste contexto que se insere o acordo entre Governo Federal e os estados de Goiás e do Mato Grosso, como parte de uma estratégia mais ampla, pensada para todo o território nacional.