Segurança e Privacidade em Aplicativos

Golpes praticados com Engenharia Social não faziam parte da demanda investigativa de Delegacias do interior até pouco tempo. A especificidade dessa nova modalidade criminosa criou a necessidade de aperfeiçoamento dos profissionais de Segurança Pública, principalmente no quadro da Polícia Civil, a quem compete proceder investigações com vistas ao esclarecimento da autoria delitiva.

Um dos golpes com considerável aumento é a clonagem de conta do WhatsApp, um dos aplicativos mais populares atualmente. As pessoas que possuem o hábito de anunciar produtos em sites, devem estar atentas. O golpista ao tomar conhecimento do número divulgado para contato envia uma mensagem se passando por administrador do site dizendo precisar atualizar dados cadastrais. Solicita que a pessoa lhe envie um código de 06 dígitos previamente solicitado já por ele. De posse do código o golpista acessa o aplicativo da pessoa e começa enviar mensagens aos seus contatos solicitando empréstimos. O golpe restringe-se apenas a clonagem do número no aplicativo. A dica é sempre habilitar a verificação de segunda etapa no aplicativo WhatsApp. Não repassar código recebido por SMS é outra forma de se resguardar. Como regra, as empresas de compra e venda não fazem contato através de aplicativos de mensageria. Mas, se tomadas essas providências e mesmo assim seu WhatsApp for clonado, primeiro informe aos seu contatos sobre o ocorrido e registre Boletim de Ocorrência formalizando os fatos para providências.

Recentemente ganhou notoriedade na mídia a invasão de contas do Telegram de propriedade de autoridades. Embora seja uma ação criminosa, visto que viola a privacidade/intimidade das pessoas, de posse do conteúdo vinculado ao aplicativo, o dano poderá ser irreversível. E como criminoso não se intimida por sanções previstas em Lei, melhor se precaver para não ter dores de cabeça. A exemplo do aplicativo WhatsApp, no Telegram há formas de dificultar a invasão, lembrando que, nenhuma aplicação é 100% segura e todos estão suscetíveis aos crimes cibernéticos. Habilite a verificação em duas etapas e não forneça código recebido por SMS a terceiros. Checar com frequência as sessões ativas em seu aplicativo. Siga os procedimentos: configurações>privacidade e segurança>sessões ativas.

Por fim, nunca é demais lembrar que, a linha entre vítima e autor de um crime é tênue. Tome cuidado para não cometer crimes replicando conteúdo que possuam teor de pedofilia, imagens de mortos e chacotas usando fotos de pessoas, ainda que não seja por você conhecida. Lembre-se: o que pode ser engraçado para um grupo de pessoas, pode ser extremamente desagradável para quem tem sua imagem vinculada a piadas, memes ou exposições que a ridicularizem.